25.7.06

foto # 30A > Noturnas


Na noite a luz soma:
quem para, fica; quem passa
some à luz da noite.


De repente, vem um carro subindo a Monte Alegre e explodem os trilhos à luz dos faróis. Brilhou no fundo da alma!
Bela imagem, desde que usasse tripé e conseguisse um detalhe para o primeiro plano... Enquanto pensava no que fazer, fui buscar no carro um tripé comum, que usaria na altura mínima. Veio a idéia de pedir à minha amiga que pusesse a ponta do pé exatamente no meio da largura do trilho. Ficou com pose de quem acabara de comprar a linha...
Bastava esperar por outro carro. Corria o risco de errar, pela dificuldade de controlar o momento. Teria que usar o temporizador para evitar tremer, a exposição seria de um segundo. Basta ver como o casal à esquerda quase se desfaz pelo próprio movimento... E mais: e se o carro apagasse os faróis?
Deu tudo certo, saiu uma bela foto. Especialmente pela mistura da luz incandescente dos faróis, bem amarela, temperatura de cor muito baixa, e a das lâmpadas da rua, bastante esverdeada, seja lá qual for o tipo.
Nas fotos noturnas, uma das coisas mais interessantes é justamente a possibilidade de mixar diferentes tipos de luz, da natural, após o por-do-sol ou de madrugada, até a de um fósforo, quando se é firme e rápido o bastante. A preocupação é a medição da exposição, necessariamente longa. Esse fator, por outro lado, pode dar resultados quase impressionistas, às vezes surrealistas. Ainda mais, aproveitando o deslocamento das luzes durante a exposição ou o movimento da câmara na mão, sem tripé, para criar riscos, traços e sobreexposição de luzes.
Uma fotografia criativa e divertida, para quem não se importa de desperdiçar muitas, em troca de acertar em cheio de vez em quando...